​Procedimentos Cirúrgicos

Conheça as técnicas de monitorização intra-operatória da audição e do nervo facial; 
Implante do tronco cerebral; 
Aspirador Ultrassônico e Neuronavegação.

O procedimento translabiríntico envolve um incisão atrás da orelha. A mastóide e a orelha interna são removidos para expor o tumor. Geralmente, o neurinoma do acústico é completamente removido. Raramente, somente a remoção parcial é realizada. Esse procedimento translabiríntico é indicado para tumores muito pequenos e nos quais a audição do lado do tumor já esteja comprometida. Embora o mecanismo de equilíbrio tenha sido removido nesse ouvido operado, o mecanismo de equilíbrio no outro ouvido compensa e promove estabilidade ao paciente entre 1-4 meses de pós-operatório.

O procedimento por fossa média envolve uma pequena incisão em cima da orelha. A membrana que envolve o cerebro é elevada para expor o neurinoma do acústico. O tumor é totalmente removido na maioria dos casos. Essa técnica cirúrgica possibilita um esforço para preservar a audição nesse ouvido com a concomitante ressecção completa do neurinoma do acústico. Em aproximadamente 40% dos casos, o tumor envolve o nervo da audição e a artéria que irriga a orelha interna e a resseção do neurinoma do acústico compromete a audição no ouvido operado.

O procedimento retrossigmoídeo envolve uma pequena incisão atrás da orelha e o cerebelo é levemente afastado para expor o neurinoma do acústico. Todo esforço é realizado para preservar a audição, a função do nervo facial e ainda remover o tumor. A preservação da função do nervo facial tem sido a regra para tumores pequenos e medios. Para grandes tumores algumas vezes se deixa um pequeno fragmento do tumor aderido ao nervo facial com o objetivo de evitar uma paralisia facial no pós-operatório.